Monetização e anúncios

O Google Play é compatível com diversas estratégias de monetização para beneficiar desenvolvedores e usuários. Essas estratégias incluem distribuição paga, produtos em apps, assinaturas e modelos baseados em anúncios. Para garantir a melhor experiência do usuário, é preciso obedecer a essas políticas.

Pagamentos

Os apps que utilizam compras na loja ou no app devem obrigatoriamente obedecer às seguintes diretrizes:

Compras na loja: os desenvolvedores que cobram por apps e downloads do Google Play devem obrigatoriamente usar o sistema de pagamento do Google Play.

Compras em apps:

  • Os desenvolvedores que oferecem produtos dentro de um jogo transferido no Google Play ou acesso ao conteúdo do jogo devem obrigatoriamente usar o Faturamento do Google Play no app como forma de pagamento.
  • Os desenvolvedores que oferecem produtos em uma categoria diferente do app transferido no Google Play devem obrigatoriamente usar o Faturamento do Google Play no app como forma de pagamento, exceto nos seguintes casos:
    • Se o pagamento for relacionado somente a produtos físicos
    • Se o pagamento for relacionado a conteúdos digitais que possam ser usados fora do próprio app (por exemplo, a compra de músicas que podem ser reproduzidas em outros players de música).
  • As moedas virtuais no app só poderão ser usadas dentro do app no qual foram compradas.
  • Os desenvolvedores não podem enganar os usuários em relação aos apps nem a qualquer outro serviço, produto, conteúdo ou outra funcionalidade oferecidos para compra. Se a descrição do produto no Google Play mencionar recursos no app que exijam uma cobrança específica ou adicional, a descrição precisará notificar claramente os usuários de que é necessário efetuar um pagamento para ter acesso a esses recursos.

Estes são alguns exemplos de produtos compatíveis com o Faturamento do Google Play no app:


  • Produtos de jogos virtuais, incluindo moedas, pedras preciosas, vidas ou turnos extras, itens ou equipamentos especiais, personagens ou avatares, tempo de jogo extra ou níveis adicionais.
  • Funcionalidade ou conteúdo do app, como uma versão sem anúncios de um app ou novos recursos indisponíveis na versão gratuita.
  • Serviços de assinatura como streaming de músicas, vídeos, livros ou outros tipos de serviço de mídia, além de publicações digitais, inclusive quando fornecidas com uma edição física, e serviços de redes sociais.
  • Produtos de software na nuvem, incluindo serviços de armazenamento de dados, software de produtividade empresarial e de gerenciamento financeiro.

Estes são alguns exemplos de produtos que não são compatíveis atualmente com o Faturamento do Google Play no app:


  • Mercadorias de varejo, como alimentos, roupas, utensílios domésticos e eletrônicos.
  • Taxas de serviços, incluindo serviços de táxi e transportes, serviços de limpeza, entrega de alimentos, passagens aéreas e ingressos para eventos.
  • Taxas de associação únicas ou recorrentes, incluindo associação a academias, programas de fidelidade ou clubes que oferecem acessórios, roupas ou outros produtos físicos.
  • Pagamentos únicos, incluindo pagamentos de pessoa para pessoa, leilões on-line e doações.
  • Pagamento de conta eletrônica, incluindo contas de cartão de crédito, serviços públicos, TV a cabo ou telecomunicações.

Em alguns mercados, oferecemos o Android Pay para apps que vendem produtos e serviços físicos. Para mais informações, acesse a página do desenvolvedor do Android Pay e consulte detalhes e requisitos de uso da marca.

Este artigo foi útil?

Agradecemos pela resposta.

Assinaturas e cancelamentos

De acordo com nossa política, se o usuário cancelar uma assinatura comprada de um app no Google Play, ele não receberá um reembolso pelo período de faturamento atual. No entanto, ele continuará recebendo o conteúdo da assinatura até o fim do período de faturamento atual independentemente da data do cancelamento. O cancelamento do usuário entrará em vigor após o término do período de faturamento atual.

Você (como fornecedor de conteúdo ou de acesso) pode implementar uma política de reembolso mais flexível diretamente com os usuários. É responsabilidade sua notificar os usuários de qualquer alteração nas políticas de reembolso e garantir que elas obedeçam à legislação aplicável.

Este artigo foi útil?

Agradecemos pela resposta.

Anúncios

Apps que contêm anúncios enganosos ou interferentes não são permitidos. Os anúncios só podem ser exibidos dentro do app em que são veiculados. Consideramos anúncios veiculados no seu app como parte do app. Os anúncios exibidos no app precisam estar em conformidade com todas as nossas políticas. Para ver as políticas de anúncios de jogos de azar, clique aqui.

expand_more

Anúncios enganosos

Os anúncios não podem simular nem imitar a interface do usuário de apps ou dos elementos de aviso ou de notificação de um sistema operacional. É preciso estar claro para o usuário qual app veicula cada anúncio.

Veja alguns exemplos de violações comuns:


  • Anúncios que imitam a interface do usuário de um app:



    ① O ícone de interrogação neste app é um anúncio que leva o usuário para uma página de destino externa.

  • Anúncios que imitam uma notificação do sistema:

    ① ② Os exemplos acima ilustram anúncios que imitam várias notificações do sistema.

expand_more

Anúncios interferentes

Os anúncios não devem ser exibidos de maneira que resulte em cliques acidentais. É proibido condicionar a liberação do uso integral de um app por parte do usuário ao clique em um anúncio ou ao envio de informações pessoais para fins de publicidade.

Os anúncios intersticiais só podem ser exibidos dentro do app em que são veiculados. Caso o app exiba anúncios intersticiais ou outros anúncios que interfiram no uso normal, é necessário que eles sejam fáceis de dispensar sem qualquer prejuízo aos usuários.

Veja um exemplo de uma violação comum:


  • Anúncios que ocupam a tela inteira ou interferem na utilização normal e não fornecem um meio claro de dispensar o anúncio:

    ① Este anúncio não tem um botão para dispensar.

expand_more

Interferência em apps, anúncios de terceiros ou funcionalidade do dispositivo

Os anúncios associados ao app não podem interferir em outros apps e anúncios nem na operação do dispositivo, incluindo botões e portas do sistema ou do dispositivo. Isso inclui sobreposições, funcionalidades complementares ou blocos de anúncios em forma de widget. Os anúncios só podem ser exibidos dentro do app em que são veiculados.

Veja alguns exemplos de violações comuns:


  • Anúncios que são exibidos fora do app em que são veiculados:

    Descrição: o usuário navega até a tela inicial a partir deste app e, de repente, um anúncio aparece na tela inicial.


  • Anúncios que são acionados pelo botão de início ou por outros recursos explicitamente projetados para sair do app:

    Descrição: o usuário tenta sair do app e navegar para a tela inicial, mas em vez disso, o fluxo esperado é interrompido por um anúncio.

expand_more

Anúncios impróprios

Os anúncios exibidos dentro do app precisam ser adequados para o público-alvo dele, além de estar em conformidade com nossas políticas.

Veja um exemplo de uma violação comum:



  • ① Este anúncio é inadequado para o público-alvo deste app.
expand_more

Uso do código de publicidade do Android

A versão 4.0 do Google Play Services introduziu novas APIs e um código para ser usado por provedores de análise e publicidade. Os Termos de uso desse código estão disponíveis abaixo.

  • Uso. O identificador de publicidade do Android só pode ser utilizado para publicidade e análise de usuário. O status das configurações "Desativar publicidade com base em interesses" e "Desativar a Personalização de anúncios" precisa ser verificado em cada acesso do código.
  • Associação a informações pessoais de identificação ou outros identificadores. O identificador de publicidade não pode estar vinculado a informações pessoais de identificação nem associado a qualquer identificador de dispositivo em tempo integral (por exemplo, SSAID, endereço MAC, IMEI etc.) sem o consentimento explícito do usuário.
  • Respeito às escolhas dos usuários. Se for redefinido, o novo identificador de publicidade não poderá ser vinculado a um identificador de publicidade anterior nem a dados derivados desse identificador sem o consentimento explícito do usuário. Além disso, é preciso respeitar a configuração "Desativar publicidade com base em interesses" ou "Desativar a Personalização de anúncios" do usuário. Se um usuário tiver ativado essa configuração, o identificador de publicidade não poderá ser usado na criação de perfis de usuários para fins publicitários ou para segmentação de usuários com publicidade personalizada. As atividades permitidas incluem publicidade contextual, limite de frequência, acompanhamento de conversões, geração de relatórios e detecção de fraudes e segurança.
  • Transparência para os usuários. A coleta e o uso do identificador de publicidade e o cumprimento destes termos devem obrigatoriamente ser divulgados aos usuários em uma notificação de privacidade adequada às normas legais. Para saber mais sobre nossos padrões de privacidade, leia nossa política de Dados do usuário.
  • Concordância com os Termos de Uso. O identificador de publicidade só pode ser utilizado em concordância com estes termos, tanto por você quanto por qualquer parte com a qual ele seja compartilhado no curso dos seus negócios. Desde 1º de agosto de 2014, todos os apps novos e atualizações enviados por upload ao Google Play precisam usar o código de publicidade (quando disponível em um dispositivo) em vez de outros identificadores de dispositivo para quaisquer fins publicitários.

Este artigo foi útil?

Agradecemos pela resposta.

#da532c