Similar ebooks

O Livro aborda o assunto Big Data tanto do ponto de vista de negócios quanto das tecnologias envolvidas e debate alguns desafios para se colocar projetos de Big Data em ação.

Algumas variáveis importantes que compõem o Big Data são volumes de dados abissais, variedade de dados, coletados de diversas fontes como sensores, ERPs e comentários nas mídias sociais, velocidade, veracidade, valor etc. Big Data é um ponto de inflexão que embute tanto potencial de mudanças quanto a nanotecnologia e a computação quântica.

Os desafios que essa novidade ainda apresenta são inúmeros, mas o principal é a falta de expertise e skills para lidar com o conceito e suas tecnologias. Big Data demanda conhecimento em novas tecnologias e principalmente mudanças no mindset da empresa. Seu valor está diretamente relacionado com o conceito de “empresa aberta”, ou seja, a empresa sem silos entre departamentos e mesmo aberta a conexões com clientes e parceiros. Em resumo, se a área de TI não quiser ser relegada a um simples departamento operacional, deverá ser redesenhada. Deve entender, adotar e aceitar o papel de liderar as transformações que a tecnologia está e estará exercendo sobre as empresas nos próximos anos.

“Ao longo de quase quatro décadas de envolvimento com tecnologia, busquei continuamente fórmulas de como as empresas podem monetizar seus ativos de informação. Presenciei muitos conceitos e inovações promissoras virarem fracasso após consumirem altos investimentos e gerarem expectativas que não se concretizaram. [...] Neste contínuo aprendizado, como é o atual assunto Big Data, vejo que esta inovação pode transformar por completo a maneira como trabalhamos e pensamos no desenvolvimento de novos produtos e novos serviços." 
Dorival Dourado, Presidente & CEO
Boa Vista Serviços 

 Coisas para Lembrar Quando Elaborar o Modelo de Negócio


Quando elaborar um modelo de negócio, você tem muito que lembrar. Consulte esta lista prática de lembretes do modelo de negócio para garantir que você se mantenha no trilho.

Diferente é sempre melhor que melhor. O plano da ratoeira melhor raramente funciona. 

Sem margem, sem missão. Ótimos modelos de negócio têm ótimas margens. 

Se não for fácil vender, não vale a pena fazê-lo. 

Um surfista não vê a onda e depois a pega; ele tem que adivinhar onde a onda estará e bater os braços em frente dela. Muitas vezes ter sorte significa adivinhar com antecedência. Wayne Gretzky chamava isso de “patinar para onde o disco estará”. 

Apenas o mercado decide quais ideias são boas. 

A maioria das grandes ideias não é apreciada pelo senso comum até que dê certo. Não se preocupe com o que todo mundo pensa de suas ideias. 

Pense em sua estratégia de saída enquanto estiver construindo seu modelo de negócio. Não faz sentido construir um emprego. 


Perguntas a Se Fazer sobre o Seu Modelo de Negócio 

O modelo gera margens superiores às dos concorrentes?  

Com que facilidade sua ideia pode ser copiada? 

O que você pode fazer para desacelerar a concorrência? 

O que acontece se um concorrente maior copiar sua ideia? 

Como você colocará o produto nas mãos dos clientes e com que facilidade os consumidores pagarão por ele? 

Como as mudanças nos hábitos de compra, as tendências, taxas de juro, aumento da concorrência e a economia geral afetarão seu modelo?

Boa leitura! 


Aqui há dragões

(do latim Hic Sunt Dracones), era assim que se marcavam os trechos dos mapas que ainda não tinham sido desvendados ou que se havia certeza de perigo durante as grandes navegações. E o que é um startup se não uma empresa trilhando um caminho novo cheio de incertezas em busca de sucesso?

Antes de existirem satélites, para conhecer o mapa-múndi foi preciso que muitos homens corajosos se lançassem ao mar sem a certeza de onde chegariam e do que encontrariam ao custo de muito suor e muitas vidas. Sempre que uma parte do mapa era revelada muitos novos caminhos e possibilidades surgiam também.

Conquistando ou falhando, esses homens sempre deixavam para trás algo muito importante: o conhecimento que, sendo bom ou ruim, permitiu aos novos navegantes se prepararem para irem mais longe. E assim, indo aos poucos cada vez mais longe, conseguimos mapear o planeta das regiões mais frias até as mais áridas. Coisas que um homem só seria incapaz de fazer sozinho – e é sobre isso que este livro fala. Ele é um compilado do que 20 autores aprenderam em suas próprias navegações e estudos a caminho do desconhecido, a caminho dos Mares dos Dragões.

O que se aplica tanto para uma pessoa trabalhando na garagem quanto para um grupo de diretores de empresas grandes já estabelecidas. O que elas têm em comum é a missão de entrar na neblina, enfrentar o desconhecido e descobrir um caminho para um negócio sustentável.

Todos os direitos autorais deste livro serão doados para o Instituto Make a Wish Brasil.


////

Alguns fundos de investimento do Vale do Silício têm um pré-requisito diferente para investir em uma empresa: que um dos empreendedores já tenha quebrado duas ou três startups. Para eles, esses profissionais têm o conhecimento necessário para conduzir um negócio de sucesso por conta das falhas que viveram.

No Brasil, os maiores desafios para um startup não estão só na falta de recursos, clientes ou mercado. Um dos grandes obstáculos são os empreendedores daqui, que não encontram capacitação nas universidades e, muitas vezes, não têm em si a cultura de startups na veia.

Como diz a sabedoria popular, é melhor aprender com o erro dos outros do que com os seus. Isso é possível porque as histórias se repetem. Nesse processo uma figura fundamental é a dos mentores, que conduzem o trabalho de acordo com suas experiências, apontando o caminho até o sucesso.

Nesse campo minado, ter acesso à experiência de outros profissionais é evitar pisar nas mesmas minas que foram outrora pisadas. Aqueles que não dão ouvidos a esses relatos – já fui uma dessas pessoas – acabam provando, na pele, o impacto de seus erros.

Este livro traz a oportunidade de que você tenha contato com experiências de empreendedores e profissionais com realidades próximas às suas. Não são histórias romantizadas que contam sobre Steve Jobs, Elon Musk ou Bill Gates. Os autores são acessíveis, com histórias de vida muito parecidas com o cotidiano do empreendedor moderno. Ou seja, o seu.

Heitor Gusmão, administrador formado na PUC-Rio, cofundador e presidente da Fábrica de Startups Brasil, nomeado como Under 30 da Forbes Brasil 2019. Um apaixonado pelo empreendedorismo e pelo Rio de Janeiro.  

 ///


Colaboradores:

 

Adriano de Almeida

Adriano Ueda

Alexandre Castilho

Andrei Scheiner

Carolina Souza

Eduardo Gallina

Elis Monteiro

Gabriel Silva

Guilherme Lima

Julia Simek

Luiza Longo

Maô Guimarães

Michele Barcena

Marcello Perongini

Ricardo Souza

Ricardo Fachini

Rodrigo Pimenta

Rosângela Nucara

Vincent Holst

"A Agência de Marketing Ideal é um guia prático que deve ser lido por qualquer profissional que esteja atuando na construção da próxima geração de empresas de marketing." – Dharmesh Shah, autor de Inbound Marketing: Seja Encontrado Usando o Google, a Mídia Social e os Blogs.

A indústria de serviços de marketing vive um período de transformação. 

A velha guarda, presa às tradições e resistente às mudanças cairá, e novos líderes emergirão. As agências de marketing voltadas à tecnologia, dinâmicas, abertas e colaboradoras redefinirão a indústria. Os serviços digitais serão enraizados no DNA de todas as agências e misturados aos métodos tradicionais para a realização de campanhas integradas. A intensidade, a versatilidade e a propulsão dos seus talentos serão a base da organização em busca de um propósito mais elevado.

 

A Agência de Marketing Ideal oferece dez regras para a criação de agências dinâmicas, híbridas, que se apresentem de maneira mais eficiente, influente e lucrativa do que as empresas tradicionais e, ainda mais importante, que sejam capazes de proporcionar ótimos resultados e valores aos clientes.

A Agência de Marketing Ideal demonstra como:

- Transformar a empresa em híbrida, diversificando as suas fontes de receita.

- Pensar em talento e equipe, contratando, retendo e promovendo profissionais híbridos.

- Comprometer-se com o cliente, construindo relacionamentos e fidelidade 

- Gastar menos tempo planejando e mais tempo agindo.

Esse é o futuro da indústria de serviços de marketing. Um futuro definido e impulsionado pelos menos favorecidos e inovadores. Você tem a oportunidade de estar à frente da transformação.

"Chegou o momento de surgir um novo tipo de agência, criada para tirar vantagem da revolução na comunicação, para ajudar as empresas a se posicionarem diante dos seus clientes quando estiverem prontas e ansiosas para o compromisso. Em seu cativante A Agência de Marketing Ideal, Paul Roetzer mostra como transformar a sua empresa para que possa prosperar no mundo do tempo real em que vivemos atualmente." – David Meerman Scott, autor do best-seller The New Rules of Marketing & PR.

"A Agência de Marketing Ideal é uma leitura obrigatória para qualquer grupo ou indivíduo que atue na área de marketing." – Joe Pulizzi, fundador do Content Marketing Institute.

A sua organização possui informações importantes? Faz uso de tecnologia? Trabalha orientada a processos? Está alocada em um ambiente físico? As pessoas envolvidas poderiam estar mais bem preparadas contra eventuais riscos?

Caso tenha respondido sim para algumas dessas perguntas, saiba que a Governança de Segurança da Informação pode ser o seu maior diferencial num mercado extremamente competitivo.

Com conteúdo abrangente, didático, objetivo e com exemplos práticos, este é o único livro no Brasil atualizado com as normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2013, ABNT NBR ISO/IEC 27002:2013, ABNT NBR ISO/IEC 27014:2013 e COBIT 5.

Entre os assuntos abordados, destacam-se:

  • Descrição dos principais conceitos de Segurança da Informação e Governança Corporativa e das recentes normas internacionais publicadas.
  • Descrição prática de modelos de Conformidade e Capacidade, Governança e Gestão e Plano Estratégico de Segurança da Informação.
  • Utilização e descrição prática de COBIT 5, Análise SWOT, Teste de Invasão, Balanced Scorecard, além da evolução do ciclo do PDCA para o Plan, Do, Check e Learn e da Análise de Impacto, Urgência e Gravidade em processos críticos de negócio.
  • Gestão de Riscos de Segurança da Informação.
  • Funções, responsabilidades e diagnóstico da Gestão de Segurança da Informação.
  • Descrição do The Open Web Application Security Project (OWASP).
  • Alinhamento de Segurança da Informação com os processos de negócio.
  • Elaboração do Plano de Ação de Segurança da Informação.
  • Retorno sobre o investimento e medição de indicadores específicos de Segurança da Informação.
  • Escritório de projetos de Segurança da Informação.

Conta com um marcador de livro destacável que tem como principal objetivo ser um documento para avaliar a capacidade dos processos de segurança da informação de acordo com os segundos níveis: 
0 - Incompleto: Processo inexistente ou incompleto; Portanto não consegue alcançar o seu objetivo.
1 - Realizado: Processo está implementado e começa a alcançar o seu objetivo.
2 - Gerenciado: Processo está implantado e gerenciado (planejado, monitorado e ajustado).
3 - Estabelecido: Professo está implantado e definido, capaz de alcançar seus resultados pretendidos.
4 - Previsível: Processo está estabelecido e operando dentro dos limites de qualidade definidos para alcançar seus resultados pretendidos.
5 - Em Otimização: Processo está sendo melhorado continuamente para alcançar as metas e necessidades de negócio atuais relevantes e as projetadas para o futuro da organização.
 

“Quando é verificado que 90% dos dados atualmente disponíveis na internet foram colocados lá nos últimos dois anos, temos a real dimensão do que nos espera neste universo digital, onde, de fato, toda a vida das pessoas encontra-se em meio digital. Assim, este livro é de vital importância para podermos ter a verdadeira dimensão da segurança destas informações. Parabéns ao Sergio Manoel por essa importante iniciativa de publicar esta obra em momento tão oportuno.”
Dr. Martius Vicente Rodriguez y Rodriguez, coordenador de MBA e professor da Universidade Federal Fluminense

“A questão da segurança da informação é uma realidade no mundo contemporâneo que se caracteriza pela assimetria entre os atores envolvidos e requer no seu enfrentamento dedicação especial para a conscientização e o doutrinamento do ativo humano, ou seja, forte atuação na cultura organizacional. Assim, a presente obra contribui para formação de novos gestores de segurança da informação e difunde a cultura de SI para o público em geral.”
Alexandre Henrique Nogueira, Tenente Coronel Engenheiro, chefe da Divisão de Tecnologia e Segurança da Informação do Subdepartamento Técnico do Departamento de Controle do Espaço Aéreo.

Neste livro você encontra informações que o ajudaram a entender este incrível conceito que é a IoT (Internet das Coisas). E saberá o que de mais novo, esta sendo desenvolvido, para as mais diversas áreas da sociedade.

Terá não só um entendimento da tecnologia, que esta a cada dia ganhando mais força em seu desenvolvimento e obtendo mais atenção da mídia, mas também o que há de inovações na indústria 4.0.

Não se assuste com o termo ou ache que é uma revolução criação recentemente pela área da tecnologia dos computadores.

O conceito de Internet das Coisas, já esta sendo amadurecido há vários anos, e já teve alguns embriões, por volta dos anos 80.

Conheça as empresas startups que estão inovando neste mercado e criando incríveis soluções e produtos para a vida cotidiana das pessoas e nas empresas.

Dentro de pouco tempo, bilhões de equipamentos estarão conectados com a IoT, e a vida de milhares de pessoas vão ser transformadas por esta conectividade, inclusive a sua.

A Internet das Coisas estará presente em todo cotidiano da vida, de roupas inteligentes, geladeiras que fazem pedidos de compra ao supermercado, carros autônomos e até casas inteligentes com tudo interligado. Mas você acha que isto esta longe de se tornar prático? Neste livro você vai saber que a IoT já esta presente em muitos lugares e existem estimativas que em pouco tempo, produtos já estarão sendo vendidos.

Vale a pena ficar ligado e estar por dentro das inovações e o que este conceito pode fornecer em termos de benefícios para sua vida. Quem sabe em breve você esteja utilizando alguns equipamento e até roupa que tenha dispositivos de IoT e ligados a Internet.

Você vai desvendar a Internet das Coisas (IoT), a partir deste livro.

A forma como organizamos informação de gestão é um elemento essencial no desempenho das nossas respostas de negócio e, consequentemente, na forma como os nossos clientes nos percecionam. As organizações modernas, cada vez mais digitais e automatizadas, assentam a sua atividade em sistemas que suportam completamente a sua atividade. É hoje impossível imaginar a gestão de uma organização sem um sistema informatizado que constitua a sua espinha dorsal de funcionamento.

Mas toda esta informação é guardada? Em folhas de Excel? Em ficheiros de texto? Em formatos especiais? A resposta é: Em bases de dados.

Tal como referido anteriormente, existem inúmeros sistemas de gestão de bases de dados (SGBD, ou DBMS na sigla inglesa). A Microsoft Access é apenas um deles, frequentemente utilizado em ambiente de ensino ou em ambientes departamentais dada a sua facilidade de utilização e orientação para um público não técnico, normalmente gestores de informação.

Para além do Microsoft Access, que é apenas uma ferramenta entre muitas, este livro procura sensibilizar o gestor para questões que têm a ver com a forma como os próprios dados devem ser organizados. Uma organização incorreta pode dificultar, ou mesmo impossibilitar, pesquisas futuras, implementação de certos processos, desempenho de automatismos, etc.

O cumprimento de algumas regras básicas do modelo relacional assegura, desde logo, o nascimento correto de uma boa solução de negócio, escalável e robusta.


Um livro destinado a todas as famílias empresárias onde os autores ajudam a organizar o ritmo empresarial sem danificar o convívio afetuoso e familiar. Não há relação familiar isenta de conflitos. Essa afirmação isolada talvez até seja banal para muitos, porém torna-se contundente se considerarmos que, segundo estimativas, cerca de 80% das empresas do mundo são familiares. Assim, no seio da família empresária, as relações de afeto, poder e dinheiro podem se confundir e tornar-se ainda mais complexas, refletindo-se na empresa e nos negócios, em geral de maneira negativa e problemática. Ou vice-versa. É possível, entretanto, organizar os relacionamentos familiares e de trabalho nesse tipo de empresa para obter resultados satisfatórios nos negócios e, ao mesmo tempo, preservar laços emocionais e afetivos. Segundo os autores, é nas ferramentas e nos recursos da governança corporativa e familiar que reside a chave para obter relações saudáveis e produtivas para conseguir: Estabelecer estratégias claras e definidas na empresa; Evitar confusão entre propriedade e gestão; Minimizar lutas por poder e predominância de caprichos individuais; Realizar uma sucessão legítima e eficiente; Diminuir a tendência ao conservadorismo e paternalismo; Diminuir conflitos de interesse e atritos entre familiares; Preservar o convívio afetuoso e saudável entre parentes. Afeto, poder e dinheiro são os pilares tanto do sucesso quanto do fracasso das empresas de família. Ao aprender a conjugar sabiamente esses três elementos, com paz e prosperidade, é possível garantir todas as condições para o êxito e a perpetuação das empresas familiares, que é, afinal, o sonho dourado de toda família empresária.
A segurança em instalações industriais sujeitas à presença de atmosferas explosivas é abordada neste livro sob o aspecto do ciclo total de vida destas instalações, incluindo as atividades de classificação de áreas, projeto, montagem, inspeção, manutenção, reparos, recuperação e auditorias de instalações e equipamentos "Ex". Esta obra apresenta informações essenciais aplicáveis a diversos tipos de indústrias, tais como refinarias de petróleo, indústrias petroquímicas, navios petroleiros, plataformas de perfuração e produção de petróleo offshore, indústrias farmacêuticas e alimentícias. A segurança nestas instalações consolida-se na medida em que as empresas de prestação de serviços e os profissionais envolvidos com as diversas atividades em áreas classificadas detenham os devidos conhecimentos, qualificações, experiências, treinamentos e competências para exercer suas responsabilidades de acordo com os requisitos indicados nas Normas Técnicas aplicáveis da Série ABNT NBR IEC 60079 – Atmosferas Explosivas. Este livro aborda, de forma simples e direta, temas relevantes relacionados com instalações elétricas, de instrumentação, de automação, de telecomunicações e mecânicas em atmosferas explosivas, para que as empresas e os profissionais envolvidos com atividades em áreas classificadas possam ter acesso a informações fundamentais no caminho de obterem as suas respectivas certificações, de forma similar ao processo de certificação de equipamentos elétricos e mecânicos "Ex".
Embora a terceirização de tecnologia da informação (TI) seja comum em empresas privadas, é menos comum em organizações públicas. Além disto, a literatura atual concentra-se principalmente em empresas privadas e pesquisadores de organizações públicas usam e replicam esses resultados muitas vezes sem a validação adequada para o contexto público. Isto aponta para um cenário em que os estudos de TI para organizações públicas podem ter resultados piores devido à falta de uma estrutura teórica apropriada. Para analisar essa disparidade, a literatura existente sobre TI, organizações públicas e terceirização é revista. O uso de uma revisão sistemática da literatura permite extrair o conteúdo organizado por grupos. Assim, propõe-se um framework para compreender as principais dimensões do monitoramento da terceirização de TI para organizações públicas. Os resultados apontam para quatro critérios principais, subdivididos em 16 subcritérios, validados, classificados e hierarquizados por meio do método Fuzzy-AHP. Este estudo contribui para a literatura ao refinar as teorias de terceirização de TI para o setor público e fornecer uma plataforma para avanços em estudos futuros. Além disto, também contribui com a discussão sobre três visões hierárquicas diferentes de acordo com os perfis estratégico, tático e operacional, mostrando diferentes visões e preocupações quanto à gestão e à fiscalização de contratos de terceirização de TI nas empresas públicas.
Da chegada à aposentadoria, o ciclo da vida do trabalhador do mundo corporativo é explicado, opinado e comentado pelo gestor Rogério Bergh em seu novo livro Eficiente para qualquer que seja seu "momento" na vida corporativa, a obra sana dúvidas mais comuns desse ambiente, além de exemplificar a forma ideal de agir em cada situação corriqueira. Lidar com negócios exige determinadas habilidades e muito conhecimento de onde está pisando. O ambiente corporativo é um desafio e comumente uma incógnita. Não é a toa que Rogério Bergh se denomina como 'sobrevivente'. Porém, o lançamento de 365 Dias no mundo corporativo: do "hipocrisil" ao "demagogil" vem para facilitar o entendimento de leigos e experts que têm dúvidas sobre este universo. O autor é formado em engenharia mecânica, com especialização em engenharia automotiva e pós-graduado em Gestão de Custos, somando experiências também no exterior, consumando tudo que é necessário para construir o sucesso de uma carreira. O livro conta com a experiência de 35 anos do executivo – é uma espécie de manual de dúvidas com perguntas e respostas, ambas feitas por Bergh, que atende diversas questões possíveis, das mais amplas às mais precisas. Ao utilizar o material oferecido, o leitor terá base para tomadas de decisões mais assertivas e um desgaste muito menor para solução de problemas. Muitas vezes de forma bastante cômica, o autor foi capaz de exemplificar o cotidiano desse ambiente repleto de incoerências. O lado técnico é crucial para a desenvoltura do indivíduo nos negócios, mas parte do conteúdo apresentado vem de reflexões interpessoais, autoconhecimento, comportamento e muito mais do que explicam nas academias, mostrando que administração e gestão são ciências humanas, e que as principais sabedorias vêm da experiência.
A NORMALIDADE NUNCA MUDOU NADA O maior risco para indivíduos e organizações não é a falta de dinheiro, experiência ou conexões. É o excesso de desculpas. É a supervalorização de justificativas, argumentos e explicações. Ser diferente é o novo normal. Vivemos uma era de completa reconstrução social. A falta de atualização tornará a sua graduação obsoleta. A falta de especialização reduzirá a sua utilidade profissional. Nunca foi tão necessário ser rebelde aos códigos da língua, questionador do pensamento uniforme e desafiador do comportamento mediano. Para muita gente, 20 anos de experiência significa 1 ano repetido 20 vezes. Infelizmente, esse tipo de credencial é inútil hoje em dia. Em função dos rápidos avanços tecnológicos, o conhecimento adquirido ao longo do tempo não necessariamente atende aos requisitos atuais. Enquanto a maioria das pessoas aceita a vida como ela é, uma turma de audazes confronta as regras que definem empregos e as normas que estabelecem indústrias. É essa desobediência aos padrões que está pavimentando as principais conquistas da humanidade. Na medida em que a sociedade evolui, uma tarefa monumental surge: se desapegar do modo tradicional de construir carreiras e negócios para desenvolver as capacidades exigidas pelo século XXI. Maurício Benvenutti, especialista no universo das soluções mais inovadoras do planeta, compartilha nessa obra as 5 competências adotadas por profissionais e organizações que assumiram a dianteira do mundo: •Causar impacto; •Olhar a próxima curva; •Questionar ao invés de ter a resposta pronta; •Fazer com as pessoas ao invés de para elas; •Ser diverso. Além de apresentar uma visão direta e sem rodeios sobre o futuro de empregos, profissões e empresas, AUDAZ é um guia prático para você se diferenciar nesse ambiente cada vez mais competitivo.
O estudo e o desenvolvimento de megaprojetos em setores como o de petróleo e gás, mineração, siderúrgicas, termoelétricas, barragens, hidroelétricas, aeroportos, entre outros, têm sido objeto de grande atenção por parte de governos e grandes empresas no Brasil e no mundo.

Ao mesmo tempo, na área acadêmica vem crescendo o interesse pelo tema.

Essa atenção é justificada pelas características que esses projetos apresentam: alto nível de investimentos associado a grandes riscos, sofisticação das tecnologias envolvidas, alto impacto ambiental e social e multiplicidade de agentes envolvidos, fatores que tornam esses empreendimentos bastante complexos.

Por causa disso, os métodos para sua concepção, planejamento e construção envolvem equipes multidisciplinares e empregam conceitos e ferramentas pouco usuais em outros segmentos do mercado.

Pretendendo contribuir com a disseminação de conhecimento sobre megaprojetos, este livro – destinado a gerentes de projetos e profissionais atuantes no mercado – descreve uma estrutura conceitual para o desenvolvimento da etapa de concepção de megaprojetos.

O texto indica passo a passo como as etapas do Front-End Loading, amplamente usado na concepção desse tipo de projeto, podem ser associadas a conceitos do Lean Thinking. Dessa forma, propõe-se uma abordagem lean a uma estrutura conceitual já existente, ainda que pouco conhecida por grande parte do mercado.

O leitor irá se familiarizar com os conceitos da construção enxuta e aprenderá de que forma métodos como engenharia simultânea ou projeto baseado em conjuntos de soluções podem ser ferramentas de grande impacto na melhoria da qualidade e do desempenho desses projetos.

Para aqueles que querem estar a par da fronteira do conhecimento na área, é uma leitura indispensável. 

“É impossível ficar indiferente após a leitura de Automação & Sociedade. A ruptura dos velhos paradigmas, proporcionada pela Quarta Revolução Industrial, provoca mudanças que afetam desde o cotidiano do cidadão até o modelo de desenvolvimento das nações.”

Pedro Passos é empresário, cofundador e membro do conselho de administração da Natura Cosméticos

 

“Como diria o célebre poeta e filósofo Paul Valéry, “não se fazem mais futuros como antigamente”. Automação & Sociedade é leitura obrigatória para quem estiver disposto a mergulhar nesse universo fascinante de um futuro que, ironicamente eu diria, já começou faz alguns anos.”

Octavio de Barros, economista, cofundador da Quantum4 Soluções de Inovação, membro do conselho de empresas e instituições


“Recentemente um conjunto de novas tecnologias está disponível. A grande diferença é que têm como base tecnologias digitais e destinos claros em termos de aplicações. O bom entendimento dessas tecnologias associado ao profundo conhecimento dos processos e oportunidades do seu negócio oferecem enormes oportunidades de aplicações que podem alavancar a eficiência operacional. Em um mundo cada vez mais competitivo e globalizado a alta eficiência operacional é m diferencial que pode determinar a perpetuidade de uma empresa ou negócio. A EMBRAER procura aplicar e incentivar seus parceiros e fornecedores a entender, desenvolver e aplicar novas tecnologias que proporcionam aumentos significativos de eficiência e eficácia. Aumentar o debate sobre a Quarta Revolução Industrial no país é essencial para todos os setores produtivos da sociedade. A EMBRAER tem ciência da transformação profunda desta revolução e não perderá a oportunidade de ganhar competitividade no cenário internacional. Esta obra por certo é uma excelente ferramenta no entendimento dessa transformação.”

Antonio João Carmesini Barcellos, Diretor de Engenharia de Manufatura da EMBRAER

  

Esta obra, “Automação & Sociedade – Quarta Revolução Industrial, um olhar para o Brasil”, evita tanto utopias como distopias a respeito da brutal transformação em todos os modelos de negócios, privados ou públicos, que estão de pernas para o ar devido à revolução digital e cognitiva. Ela reconhece que a velocidade e a abrangência setorial das transformações não permitem subestimação dos seus impactos, sejam eles positivos ou negativos sobre a sociedade. Trata com a mais absoluta franqueza dos dilemas que estão colocados para a sociedade e para o Brasil em particular.

Lendo esta excelente obra coletiva, nos damos conta e compreendemos que, muito possivelmente, algumas empresas fracassaram justamente porque, durante décadas, fizeram tudo absolutamente certo diante de uma lógica tradicional, mas, distraidamente, subestimaram as transformações em torno delas. Faltou-lhes visão sistêmica porque consideraram que as transformações seriam lineares como sempre foram.

Por outro lado, as empresas que avançam vitoriosas nesse novo mundo souberam captar os sinais fracos nos seus radares. Algumas empresas perceberam que, na verdade, esses sinais fracos no radar eram os mais relevantes indicadores de que algo disruptivo estava se aproximando velozmente. Não é demais lembrar que disruptivo é aquilo que muda literalmente as regras de um jogo por vezes jogado de uma mesma forma por décadas. Talvez o mundo já esteja polarizado entre aqueles que abraçam inteligentemente as mudanças e aqueles que simplesmente resistem a elas.

As empresas, cada vez mais, precisam se transformar em verdadeiras plataformas e os dirigentes necessitam transformar eles mesmos. As empresas mais eficientes estão o tempo todo à caça obcecada de problemas muito mais do que de soluções. Elas sabem que as maiores ameaças poderão vir de concorrentes ainda não identificados. Portanto, são capazes de identificar onde residem os desafios e as oportunidades.

Hoje podemos retomar e recontextualizar a famosa frase de 1920 do poeta e filósofo Paul Valéry: “O futuro não é mais o que costumava ser”, ou, em uma linguagem mais popular, “não se fazem mais futuros como antigamente”.

Octavio de Barros, economista, cofundador da Quantum4 Soluções de Inovação e presidente do conselho do Instituto República e membro do conselho de diferentes empresas e instituições.

"Greg McKeown nos lembra que a clareza de foco e a capacidade de dizer 'não' são aspectos desvalorizados porém fundamentais para os negócios nos dias de hoje." – Jeff Weiner, presidente-executivo do LinkedIn

O ESSENCIALISTA NÃO FAZ MAIS COISAS EM MENOS TEMPO – ELE FAZ APENAS AS COISAS CERTAS.


Se você se sente sobrecarregado e ao mesmo tempo subutilizado, ocupado mas pouco produtivo, e se o seu tempo parece servir apenas aos interesses dos outros, você precisa conhecer o essencialismo.

O essencialismo é mais do que uma estratégia de gestão de tempo ou uma técnica de produtividade. Trata-se de um método para identificar o que é vital e eliminar todo o resto, para que possamos dar a maior contribuição possível àquilo que realmente importa.

Quando tentamos fazer tudo e ter tudo, realizamos concessões que nos afastam da nossa meta. Se não decidimos onde devemos concentrar nosso tempo e nossa energia, outras pessoas – chefes, colegas, clientes e até a família – decidem por nós, e logo perdemos de vista tudo o que é significativo.

Neste livro, Greg McKeown mostra que, para equilibrar trabalho e vida pessoal, não basta recusar solicitações aleatoriamente: é preciso eliminar o que não é essencial e se livrar de desperdícios de tempo. Devemos aprender a reduzir, simplificar e manter o foco em nossos objetivos.

Quando realizamos tarefas que não aproveitam nossos talentos e assumimos compromissos só para agradar aos outros, abrimos mão do nosso poder de escolha. O essencialista toma as próprias decisões – e só entra em ação se puder fazer a diferença.

Aprenda a enriquecer mudando seus conceitos sobre o dinheiro e adotando os hábitos das pessoas bem-sucedidas


"T. Harv Eker desmistifica o motivo pelo qual algumas pessoas estão destinadas à riqueza e outras a uma vida de dureza. Se você quer conhecer as causas fundamentais do sucesso, leia este livro." – Robert G. Allen, autor de O milionário em um minuto


Se as suas finanças andam na corda bamba, talvez esteja na hora de você refletir sobre o que T. Harv Eker chama de "o seu modelo de dinheiro" – um conjunto de crenças que cada um de nós alimenta desde a infância e que molda o nosso destino financeiro, quase sempre nos levando para uma situação difícil.


Nesse livro, Eker mostra como substituir uma mentalidade destrutiva – que você talvez nem perceba que tem – pelos "arquivos de riqueza", 17 modos de pensar e agir que distinguem os ricos das demais pessoas. Alguns desses princípios fundamentais são:


• Ou você controla o seu dinheiro ou ele controlará você.

• O hábito de administrar as finanças é mais importante do que a quantidade de dinheiro que você tem.

• A sua motivação para enriquecer é crucial: se ela possui uma raiz negativa, como o medo, a raiva ou a necessidade de provar algo a si mesmo, o dinheiro nunca lhe trará felicidade.

• O segredo do sucesso não é tentar evitar os problemas nem se livrar deles, mas crescer pessoalmente para se tornar maior do que qualquer adversidade.

• Os gastos excessivos têm pouco a ver com o que você está comprando e tudo a ver com a falta de satisfação na sua vida.


O autor também ensina um método eficiente de administrar o dinheiro. Você aprenderá a estabelecer sua remuneração pelos resultados que apresenta e não pelas horas que trabalha. Além disso, saberá como aumentar o seu patrimônio líquido – a verdadeira medida da riqueza.


A ideia é fazer o seu dinheiro trabalhar para você tanto quanto você trabalha para ele. Para isso, é necessário poupar e investir em vez de gastar. "Enriquecer não diz respeito somente a ficar rico em termos financeiros", diz Eker. "É mais do que isso: trata-se da pessoa que você se torna para alcançar esse objetivo."

©2022 GoogleSite Terms of ServicePrivacyDevelopersAbout Google Play|Location: United StatesLanguage: English (United States)
By purchasing this item, you are transacting with Google Payments and agreeing to the Google Payments Terms of Service and Privacy Notice.