Feminismo & príncipes encantados: A representação feminina nos filmes de princesa da Disney

e-galáxia
10
Amostra gratuita

"No bojo de um verdadeiro renascimento do movimento feminista a partir das mídias sociais, um grupo de "meninas" resolveu reler as histórias das princesas da Disney a partir das questões teóricas levantadas pelo conceito de gênero. "Ninguém nasce princesa, torna-se", diriam, parafraseando Simone de Beauvoir. Com seu estudo "Feminismo e príncipes encantados: a representação feminina nos filmes de princesa da Disney", desenvolvido em 2013, Fernanda Breder foi a pioneira dessa linha de estudos dentro da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Seu trabalho repercutiu e inspirou outras pesquisas sobre as princesas, abordando novos aspectos, como o novo papel reservado às vilãs e a representação da mulher oriental nesses desenhos. (...) Dividido em "princesas clássicas", "princesas rebeldes" e "princesas contemporâneas", o trabalho de Fernanda desconstrói a ideia de que este imaginário construído pela Disney seja monolítico. Pelo contrário, mostra que, até por necessidade de alcançar uma audiência cujos valores estão em constante mutação, pode ser contextualizado e historicizado. A dona de casa exemplar Branca de Neve cede lugar à guerreira Valente, que se recusa a casar." Trecho do prefácio escrito por Cristiane Costa, Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ. O livro inclui ainda um estudo sobre as personagens Elsa e Anna, do filme "Frozen".
Ler mais
Recolher
3,4
Total: 10
Carregando...

Outras informações

Editora
e-galáxia
Ler mais
Recolher
Publicado em
25 de nov de 2015
Ler mais
Recolher
Páginas
96
Ler mais
Recolher
ISBN
9788584740833
Ler mais
Recolher
Ler mais
Recolher
Ler mais
Recolher
Linguagem
português
Ler mais
Recolher
Gêneros
Social Science Feminism / & Teoria Feminista
Ciências Sociais / Estudos de Mídia
Ler mais
Recolher
Proteção de conteúdo
Este conteúdo é protegido por DRM.
Ler mais
Recolher
Leitura em voz alta
Disponível nos dispositivos Android
Ler mais
Recolher
Qualificado para a Biblioteca da família

Informações de leitura

Smartphones e tablets

Instale o app Google Play Livros para Android e iPad/iPhone. Ele sincroniza automaticamente com sua conta e permite ler on-line ou off-line, o que você preferir.

Laptops e computadores

Você pode ler livros comprados no Google Play usando o navegador da Web de seu computador.

eReaders e outros dispositivos

Para ler em dispositivos e-ink como o e-Reader da Sony ou o Barnes & Noble Nook, você precisará fazer o download e a transferência de um arquivo para o dispositivo. Siga as instruções detalhadas da Central de Ajuda para enviar os arquivos aos e-Readers compatíveis.
A maternidade é revolucionária E-BOOK COM TEXTO EXCLUSIVO DE DUCA LEINDECKER Este livro é o registro afetivo de uma mulher, mãe de uma criança de dois anos, que aceitou o desafio de concorrer à presidência do Brasil em novembro de 2017 e que, em agosto de 2018, tornou-se candidata a vice-presidente, chegando ao segundo turno. Uma mulher que percorreu um país continental, amamentando sua filha e construindo uma nova forma de ocupação do espaço político. Também é uma conversa, sobre uma jornada de aprendizado e acolhimento. Sobre privilégios; sobre as lutas para que privilégios não existam mais. É sobre direitos. É sobre feminismo e liberdade. É sobre afeto, carreira e amor, porque não tem sentido ser pela metade. É sobre estar e não estar; presença e ausência. Sobre ser mãe e mulher; ser madrasta e não ser bruxa. Sobre acolher, sonhar um outro mundo e ser o outro mundo sonhado. E, profundamente, é sobre uma revolução chamada Laura. Uma revolução de amor, de amor próprio, de potência. Porque depois de gerar um filho não há nada, nadica de nada que uma mulher não possa fazer. Filha, você me ensina a ser feliz quando não tenho controle de nada. Você me salva sendo amor em tempos de ódio. Obrigada. Certa vez, em uma das ocasiões em que ela não estava sendo bem acolhida, eu disse: se for mais simples aceitar uma mulher na condição de primeira-dama, do que de uma criança de dois anos e meio, digam a todos que Laura é minha primeira-dama. Ela é minha filha e precisa ser amada. Maternidade em poucas palavras: chuva de cuspe. Passamos a vida julgando as maternagens de outras mulheres. Quando chega a nossa vez percebemos que cuspíamos para cima. Quem nunca?
©2019 GoogleTermos de Serviço do sitePrivacidadeDesenvolvedoresArtistasSobre o Google|Local: Estados UnidosIdioma: Português (Brasil)
Ao comprar este item, você faz uma transação com o Google Payments e concorda com os Termos de Serviço e o Aviso de privacidade do Google Payments.