Simplesmente Tita

Clube de Autores
Free sample

“Fitinha rosa na cabeça, cabelo devidamente escovado, vestidinho na altura do joelho, meia calça transparente e sapatilha cor de rosa. Sentada no sofá era uma legítima bonequinha de porcelana com meus sorridentes olhos de jabuticaba, olhos que as pessoas diziam conter um brilho e uma pureza angelicais. Eu era a filha que toda mãe queria ter, exceto a minha.” Renata Muriel Neves Linhares é filha de Meire das Neves e Félix Linhares, dois jovens apaixonados que tiveram um relacionamento conturbado e se separaram quando a menina tinha menos de um ano de existência. Crescida, portanto, sob o jugo da mãe extremamente autoritária e truculenta, o maior sonho dessa garotinha é ir para a escola e ter um montão de novos amigos para brincar. Inteligente, esperta e muito amável, Tita seria a filha dos sonhos de qualquer mãe, com exceção da sua que parece se incomodar até com a respiração da criança. Com seis anos chega o dia de ir para a aula, sem dúvida alguma a realização de um grande sonho para Tita, e é a partir daí, no entanto, que seu maior sonho se transforma em um pesadelo, tudo porque ela descobre na prática o significado da expressão bullying, sendo hostilizada pelos colegas que a isolavam, fazendo de sua vida um verdadeiro inferno. Com isso, nossa protagonista encontra refúgio no mundo dos sonhos e embora tenha uma realidade bastante dura e já saiba com certa dor que a vida não é justa, não deixa apagar em seu peito a chama da fé. É tudo que Tita tem. A fé. O sonho de liberdade não sai de seu coração jamais, tanto é assim que sua sorte — por assim dizer ― muda quando ela tem a chance de mudar de escola, e portanto, começar uma nova fase de sua vida. Prepare o seu coração para ler uma história que tem tudo para te arrebatar.
Read more

Reviews

Loading...

Additional Information

Publisher
Clube de Autores
Read more
Published on
Sep 10, 2015
Read more
Pages
126
Read more
Read more
Best For
Read more
Language
Portuguese (Portugal)
Read more
Genres
Juvenile Fiction / General
Literary Collections / General
Read more
Content Protection
This content is DRM protected.
Read more
Eligible for Family Library

Reading information

Smartphones and Tablets

Install the Google Play Books app for Android and iPad/iPhone. It syncs automatically with your account and allows you to read online or offline wherever you are.

Laptops and Computers

You can read books purchased on Google Play using your computer's web browser.

eReaders and other devices

To read on e-ink devices like the Sony eReader or Barnes & Noble Nook, you'll need to download a file and transfer it to your device. Please follow the detailed Help center instructions to transfer the files to supported eReaders.
Leandro S. Zapata
Aaron Van Helsing é o último descendente da extraordinária linhagem dos Van Helsing. Após a morte de seu pai ainda criança, ele é alvo de uma série de rituais impostos por sua própria mãe, e o envolvimento de sua melhor amiga faz com que ele tome uma decisão difícil. Anos mais tarde, ao entrar no Colégio Andersen, ele tem uma enorme surpresa ao descobrir que sua melhor amiga estudava lá. E logo no seu primeiro dia uma morte bizarra desencadeia uma série de ocorridos que envolvem uma Organização Secreta, um homem misterioso jogando com o destino das sombras, magos com poderes desconhecidos, os interesses egoístas de sua mãe, seres Celestiais e Infernais. Ashley Giannini tinha uma vida normal, em uma escola um pouco diferente, mas ainda assim normal. Até que a chegada de duas pessoas perigosamente familiares para ela deixam seu mundo de cabeça para baixo. Porém seu mundo não está exatamente correto. Após seu professor de teatro escolher apresentar a peça Romeu e Julieta de Shakespeare, ela busca tal livro na biblioteca, a fim de estudar melhor os personagens, porém a mesma maldição que condenou o casal séculos antes cai sobre a garota. Ela não se da conta, mas aquela foi sua sentença de morte. Angel Heckel aparenta ser uma garota normal de colegial, mas guarda um segredo e uma missão: encontrar o Guardião. E, ao conhecer Aaron, encontra uma possível chance dele ser quem ela procura. Por isso e pelo fato de seu pai ser parte da Organização, ela acaba se envolvendo na luta de Aaron, colocando sua própria vida.
Maria Alice Da Luz
De todas as saídas era a mais madura, a mais passível de arrependimentos. A porta do ônibus estava aberta e os passos contados até uma poltrona ao lado da janela. Pouca bagagem física, para onde ela iria não fazia ideia, decidiria quando estivesse prestes a desembarcar em um lugar onde seu nome não fosse alvo de piadas nem humilhações, onde pudesse deitar-se para dormir e não sentir medo de invasões nem tampar os ouvidos para conter a gritaria, as cobranças desumanas. Estava fechando um ciclo de dores, desilusões, rasgando as páginas em vez de apenas virá-las tentada a relê-las, mergulhada na fraqueza. Ele, porém, havia escolhido viver ali para sempre, mas numa noite o eterno fez-se chama e interrompeu a história. Desolado, partiu correr o mundo, voltando para o mesmo lugar e encontrando-se no fundo dos olhos dela, onde viu a alegria e a tristeza contrastarem-se em tons de marrom, dos belos olhos castanhos daquela misteriosa e bela jovem. Há quem diga que o amor machuque e ofenda, no entanto estão difamando o amor porque ele não fere, e sim as pessoas, sobretudo aquelas que dele falam apenas por falar, não dos que sentem, não daqueles que são tocados verdadeiramente pela vontade de se entregar. Fugir pode ser um alívio para quem corre de si mesmo, entretanto não há maior sinônimo de coragem que correr riscos. Se as mais belas frases de amor são ditas no silêncio de um olhar, ninguém melhor do que ele para traduzir o que a timidez tanto esconde com seus truques um tanto incompreensíveis.
Maria Alice Da Luz
Versos livres. Nem sempre de amor. Podem ser apenas títulos perdidos num ninho repleto de informação. Tanta informação que temos que faz-se necessário selecionar. De acordo com o seu paladar, versos para todos os gostos... ou não! Um pouco de silêncio também não é ruim, não se você souber que a poesia está ali, está especialmente naquela vontade louca a te consumir no ônibus. Escrever, escrever, escrever. Você sabe como é. A vontade vem... você se senta, apanha lápis, papel, borracha, talvez até uma bebida da sua preferência, risca algumas palavras, pensa numa ou duas estrofes, depois aquilo não faz sentido. Você apaga e arruma outro afazer para desconstruir a angústia. A inspiração não chegou, você fechou as janelas e decidiu que era hora de dormir... Sabe de uma coisa? Ela pulou no seu colo que nem seu bicho de estimação. Caramba, num estalo de dedos você teve milhões de ideias, mas a vontade de se levantar e materializá-las foi inversamente proporcional. Agora você e a inspiração estão quites, sem objeções. Talvez meu Eu Lírico te abrace ou chore com você, te faça fechar a página e jurar nunca mais voltar. Talvez essa continue sendo apenas mais uma página dentre muitas, o que é por si só um consolo. Se o leitor não leva a alma junto ao interpretar, esses versos loucos serão duros como pedra. Uma pitada de loucura num mundo moralista demais, ou melhor, falso moralista. Você é que sabe, se estiver com disposição, pode ser uma viagem incrível ou então uma rota de tédio.
©2018 GoogleSite Terms of ServicePrivacyDevelopersArtistsAbout Google
By purchasing this item, you are transacting with Google Payments and agreeing to the Google Payments Terms of Service and Privacy Notice.