Histórias Das Histórias Que Contei

Editora Intrinseca
1
Free sample

Livro revela os bastidores das reportagens mais importantes

da vida de jornalista emblemático da tevê brasileira

 

Vinícius Dônola é a cara e a voz que o grande público conhece por suas reportagens de televisão, transmitidas pelas principais emissoras do país. Histórias das histórias que contei narra os bastidores de uma breve seleção das mais de mil matérias que o jornalista apresentou ao longo de sua carreira. No livro, Dônola relembra casos marcantes, como a premiada denúncia sobre a execução de um fugitivo pela polícia, à luz do dia, em frente a um movimentado shopping do Rio de Janeiro na década de 1990. Ou quando, ao se debruçar sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, descobriu que a arma utilizada no crime era diferente da considerada inicialmente pela investigação.

Ao relembrar alguns de seus trabalhos mais marcantes, Dônola presenteia seus telespectadores – agora leitores – com os bastidores de uma profissão que, em nome do compromisso com a informação, muitas vezes expõe seus profissionais a situações limite, ao mesmo tempo que possibilita salientar casos que passariam despercebidos sem o olhar jornalístico. No livro, Dônola também não se furta a expressar seu envolvimento pessoal com as matérias. Histórias das histórias que contei é para todos que algum dia tiveram curiosidade de saber como é estar na pele de um jornalista e para aqueles que sonham em um dia ocupar papel de destaque nas redações de notícias do país.


Read more
Collapse

About the author

Vinícius Dônola fez, aos 17 anos, sua primeira reportagem para a TV, na extinta Rede Manchete de Televisão, em Campinas, também no estado de São Paulo. Aos 20, mudou-se para Portugal, onde se graduou Bacharel em Comunicação Social pela Escola Superior de Jornalismo do Porto. Por 14 anos, foi repórter especial da Central Globo de Jornalismo, no Rio de Janeiro. Na RecordTV, trabalhou como correspondente em Nova York, repórter e apresentador. 


Read more
Collapse
5.0
1 total
Loading...

Additional Information

Publisher
Editora Intrinseca
Read more
Collapse
Published on
Oct 8, 2019
Read more
Collapse
Pages
328
Read more
Collapse
ISBN
9788551005590
Read more
Collapse
Read more
Collapse
Read more
Collapse
Language
Portuguese
Read more
Collapse
Genres
Biography & Autobiography / Editors, Journalists, Publishers
Read more
Collapse
Content Protection
This content is DRM protected.
Read more
Collapse
Read Aloud
Available on Android devices
Read more
Collapse

Reading information

Smartphones and Tablets

Install the Google Play Books app for Android and iPad/iPhone. It syncs automatically with your account and allows you to read online or offline wherever you are.

Laptops and Computers

You can read books purchased on Google Play using your computer's web browser.

eReaders and other devices

To read on e-ink devices like the Sony eReader or Barnes & Noble Nook, you'll need to download a file and transfer it to your device. Please follow the detailed Help center instructions to transfer the files to supported eReaders.
Paulo Henrique Amorim, um dos mais influentes jornalistas brasileiros contemporâneos, ao completar 50 anos de carreira profissional nos mais importantes órgãos de imprensa e TV do país (Globo, Veja, Jornal do Brasil) reúne em livro meio século de atividade profissional com tudo aquilo que as notícias nunca deram: o lado de dentro do jornalismo e do poder. O quarto poder - uma outra história é um livro de memórias e um livro de história: a história pouco conhecida dos meios de comunicação no Brasil desde os primórdios, no período Vargas, passando pela criação e pelo apogeu da Rede Globo, a partir do governo militar, e incluindo os bastidores de grandes momentos da história contemporânea (ditadura, período de transição, governos Sarney, Collor, FHC e PT) - além de encontros reveladores com os principais nomes da mídia e do poder que fizeram e desfizeram a história recente do país e os bastidores dos episódios mais marcantes (Plano Cruzado, Plano Collor, negociação da dívida externa, Plano Real, debate eleitoral Collor x Lula...), até os dias de hoje. Qual era o salário do Boni no auge do seu poder na Globo? Como Roberto Marinho se relacionava com o governo de turno em Brasília (e vice-versa)? O que Paulo Francis tinha de mais ácido além de seu estilo? Quem inventou o PiG (Partido da Imprensa Golpista), Carlos Lacerda ou a Folha de S.Paulo? Os ministros da Economia eram escolhidos em Brasília ou no Rio? O modelo da mídia brasileira segue o padrão americano, europeu ou nenhuma das alternativas? É possível (ou desejável) regulá-lo (democratizá-lo)? Paulo Henrique Amorim é dono de uma memória, de um estilo e de um cabedal de informações de bastidores que, juntos, fazem de O quarto poder - uma outra história um livro ao mesmo tempo muito sério e nada sisudo. A história recente do país e da imprensa brasileira jamais serão as mesmas.
©2019 GoogleSite Terms of ServicePrivacyDevelopersArtistsAbout Google|Location: United StatesLanguage: English (United States)
By purchasing this item, you are transacting with Google Payments and agreeing to the Google Payments Terms of Service and Privacy Notice.