Uma mulher transparente

Editora Todavia S.A
Free sample

Livro que trata de forma envolvente das cicatrizes políticas e emocionais deixadas pela ditadura. No início dos anos 1960, um jovem repórter vê seu chefe, respeitado intelectual, com uma arma escondida na cintura. Antes que pudesse dar sentido à cena insólita, há uma comoção na rua e, da janela, ele vê o corpo de uma mulher estirado na calçada. Mesmo após duas décadas de ditadura, a cena continuará a assombrar o rapaz, e a morte do chefe acenderá novamente o mistério: por que teria ele ocultado uma arma na cintura? A partir daí, Edgard Telles Ribeiro cria uma poderosa trama que, ao se apropriar das ferramentas do mistério e do noir, revisita a história recente do país num engenhoso jogo de memória.
Read more

About the author

Jornalista, diplomata, cineasta e professor de cinema, Edgard Telles Ribeiro é autor de onze livros, entre eles os premiados Olho de rei e Histórias mirabolantes de amores clandestinos. Seus romances foram publicados nos Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Holanda, Espanha e Austrália.
Read more
Loading...

Additional Information

Publisher
Editora Todavia S.A
Read more
Published on
Apr 5, 2018
Read more
Pages
128
Read more
ISBN
9788593828331
Read more
Language
Portuguese
Read more
Genres
Fiction / Political
Read more
Content Protection
This content is DRM protected.
Read more
Read Aloud
Available on Android devices
Read more
Eligible for Family Library

Reading information

Smartphones and Tablets

Install the Google Play Books app for Android and iPad/iPhone. It syncs automatically with your account and allows you to read online or offline wherever you are.

Laptops and Computers

You can read books purchased on Google Play using your computer's web browser.

eReaders and other devices

To read on e-ink devices like the Sony eReader or Barnes & Noble Nook, you'll need to download a file and transfer it to your device. Please follow the detailed Help center instructions to transfer the files to supported eReaders.
Mauro foi um menino que cresceu ao sabor dos acontecimentos políticos da década de 60 (seu pai era militante do PTB) e no início dos 70 teve a sua iniciação forçada no amor, nas drogas e, sem que ele percebesse, também na política. Mas, ao invés dos guerrilheiros heroicos das organizações armadas, Mauro formou num contingente de pessoas até hoje pouco lembrado na ficção que retrata os anos de chumbo: os simpatizantes. Os jovens que não foram para a luta armada, mas mesmo assim sofreram a asfixia de viver naquele tempo sombrio, com direito inclusive a temporadas no DOI- CODI por causa de um pequeno descuido como um número de telefone em algum caderninho, ou simplesmente por estar na hora errada e no lugar errado. Assim, sem atos de bravura no currículo, mas intenso na luta para crescer e virar homem, Mauro tornou-se um ótimo advogado, enriqueceu, não casou e nem teve filhos, e um dia se retirou para cuidar de um vazio a ser preenchido num caderno de memórias. É justamente nessa hora da vida que Mauro, na confluência de suas memórias com o seu entorno, é chamado para uma última prova que lhe cobra, mais do que qualquer dos rituais de iniciação do passado, um ato realmente de coragem e bravura. Juntamente com a resistência dos jovens, Marcus Veras homenageia também a resistência da música e dos músicos brasileiros. Assim, a abertura de cada um dos capítulos do livro é um trecho de alguma música daquelas que foram indispensáveis no ato de resistir à tirania.
©2018 GoogleSite Terms of ServicePrivacyDevelopersArtistsAbout Google|Location: United StatesLanguage: English (United States)
By purchasing this item, you are transacting with Google Payments and agreeing to the Google Payments Terms of Service and Privacy Notice.